UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS
FACULDADE DE EDUCAÇÃO
DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

 

SAMANTHA LODI-CORRÊA


ANÁLIA FRANCO E SUA AÇÃO SÓCIO-EDUCACIONAL NA TRANSIÇÃO DO IMPÉRIO PARA A REPÚBLICA (1868-1919)


Este exemplar corresponde à redação final da
dissertação defendida por Samantha Lodi-
Corrêa como exigência do Programa de
Mestrado em Educação, da Faculdade de
Educação da Universidade Estadual de
Campinas, na área de concentração História,
Filosofia e Educação.

Prof. Dr. SÉRGIO EDUARDO MONTES CASTANHO
Orientador

Campinas - SP, 2009

RESUMO

A dissertação Anália Franco e sua ação sócio-educacional na transição do Império para a República (1868-1919) apresenta um estudo histórico-biográfico sobre a educadora brasileira Anália Franco. Anália Franco nasceu em Resende – RJ em 1853 e em 1868 já atuava como professora auxiliar na província de São Paulo. Sua atuação como educadora foi marcada por uma convicta preocupação social, levando-a a posicionamentos políticos em um período em que as mulheres tinham pouco espaço na vida pública. Após 1871, com a Lei do Ventre Livre, começa sua primeira atividade sócio-educacional educando crianças negras abandonadas e posicionando-se como abolicionista. Em 1901 Anália fundou a Associação Feminina Beneficente e Instrutiva de São Paulo que criou escolas maternais, creches, liceus, escolas noturnas, oficinas profissionalizantes e asilos na capital paulista e em outras cidades espalhadas pelo estado. Sua atividade estava voltada para a mulher trabalhadora, pobre ou marginalizada pela sociedade, bem como para suas crianças e órfãos. Anália trabalhou intensamente pela educação dos mais pobres até seu falecimento em 1919, quando foi vítima de gripe espanhola. A pesquisa envolveu o contato direto com fontes primárias produzidas pela própria educadora como alguns manuais educativos, relatórios da Associação Feminina, atas e os periódicos: Álbum das meninas e A voz maternal. Para a compreensão do significado de sua atividade foi necessária uma contextualização do Brasil na transição do Império para a República e a inserção da educadora nesse contexto, que possibilitou a formação de suas idéias de igualdade, liberdade e, posteriormente, sua prática educativa.

Palavras-chave: História da educação, Anália Franco, ativismo sócio-educacional.